A obrigatoriedade do ensino de espanhol no Brasil: implicações e desdobramentos

Maria Fernanda Grosso Lisboa

Resumo


Este artigo tem como ponto de partida a lei 11.161/2005 que dispõe sobre a obrigatoriedade do ensino de espanhol nas escolas de Ensino Médio, públicas e privadas. Essa lei levantou uma grande polêmica a respeito dos cursos de formação de professores on-line implantados em alguns estados com o apoio de instituições espanholas para suprir rapidamente uma carência de profissionais. A partir dessas questões, este artigo busca discutir as implicações e desdobramentos dessa lei. Ela promoverá o plurilinguismo ou evidências sugerem que, ao contrário, ela tende à reiterar a hegemonia lingüística? Do modo como vem sendo implementada, ela promove o estreitamento de laços, uma maior integração entre os países latino-americanos ou reforçará o valor atribuído à Espanha? No decorrer deste artigo aprofundo a discussão sobre esses temas e questões ao tratar das motivações e justificativas para a implantação do ensino de espanhol no ensino regular, as repercussões na mídia, entre professores, e na academia, e ainda, as possíveis conseqüências dessa lei para o ensino. Evidentemente, essas reflexões são provisórias, uma vez que só poderemos ter elementos com informações mais precisas após a implantação efetiva da referida lei.

Texto completo:

PDF