A produção literária de Caio Fernando Abreu e a epidemia de HIV/AIDS

Carlos André Ferreira

Resumo


O objetivo de minha dissertação de mestrado é analisar a literatura brasileira produzida sob o viés da AIDS. O presente texto é um estudo sobre o romance Onde andará Dulce Veiga? (1990) de Caio Fernando Abreu. Sua importância em termos de literatura de AIDS se dá por ter sido ele o primeiro escritor brasileiro a perceber que algo grave estava acontecendo quando da chegada da AIDS ao país. Para o autor a possibilidade de a liberdade sobre o corpo e as relações afetivas e sexuais serem afetadas pelo vírus HIV acabaria transformando os seres humanos em zumbis ao privá-los do prazer do sexo.
Com a finalidade de explorar o vazio que tal situação implica, procuro demonstrar como, no romance de 1990, Caio Fernando Abreu coloca de forma muito bem acabada a angústia humana num mundo abalado em suas estruturas pelo HIV: a condução do fio narrativo, a construção do enredo, o cenário em que se dão os acontecimentos, a relação dos personagens com seus anseios e frustrações e uma quase insuportável sensação de que o amor sexual significa uma sentença antecipada de morte convivem com a inevitável busca por uma esperança que qualquer ser humano empreenderia em semelhante contexto.

Texto completo:

PDF