REPRESENTAÇÕES DA MISÉRIA EM F. M. DOSTOIÉVSKI E LUÍS ROMANO

João Castaldi

Resumo


O presente trabalho é uma análise comparativa das primeiras obras do célebre autor russo Fiódor Mikhailovitch Dostoiévski (1821-1881) e “Famintos”, único romance de Luís Romano Madeira de Melo (1922-2010), escritor cabo-verdiano e leitor de Dostoiévski, partindo da temática, comum a ambos, da miséria e da implantação forçada do capitalismo em suas sociedades. Levamos em consideração principalmente a questão do Espaço nas narrativas dos dois escritores – a hostil e fria São Petersburgo retratada por Dostoiévski, erguida sobre os pântanos por uma arbitrariedade do Tzar, e o tórrido arquipélago encontrado “por acaso” pelos portugueses e povoado com seus degredados e africanos escravizados, pano de fundo do romance de Luís Romano – bem como as tragédias cíclicas a que foram submetidos peterburgueses e cabo-verdianos, tão exploradas nas literaturas em questão. São também considerados aspectos formais, como o caráter pouco descritivo dos autores e o aparente “desleixo” comum a ambos.

Texto completo:

PDF