Garimpando informação no museu

Marco Antonio Xavier

Resumo


Para uma compreensão mais profunda da História de uma localidade (no caso: Diamantina – Minas Gerais) é necessário que o historiador vá além da documentação escrita, usando outras fontes novas, como a História Oral, e inusitadas, como lendas e mitos. A tarefa do historiador lembra o trabalho de um garimpeiro, tentando identificar algo de valor em meio a uma grande quantidade de material. Esta metodologia forneceu as bases para um trabalho mais consistente, mas sem um viés acadêmico, abrindo várias possibilidades de pesquisa histórica. Acreditando que o trabalho num museu deva ser interdisciplinar e integrado a uma ação curatorial, paralelo às pesquisas foi feito um projeto para uma nova expografia, que está na fase de discussão e estudo de viabilidade.

Texto completo:

PDF


Indexadores: