A construção de objetos-de-discurso em textos de divulgação científica midiática para crianças

Marcos Filipe Zandonai

Resumo


O presente trabalho investiga o processo de construção de objetos-de-discurso (KOCH, 2003;2006; 2008b) em textos de divulgação científica midiática (doravante DCM) destinados ao público infantil. A concepção de referenciação discursiva (CAVALCANTE, 2003, 2011;KOCH, 2003; 2006; 2008b; MONDADA, 2002) embasa as descrições, análises e teorizações sobre os objetos-de-discurso do texto de DCM para crianças. As ações emergentes em prol do letramento e da cultura científica (VOGT, 2003) em várias instâncias sociais e a necessária especificidade dessas medidas quando dirigidas às crianças motivam este trabalho, que se preocupa justamente com o tratamento linguístico-discursivo dos objetos da ciência perante o público infantil. Propõe-se, aqui, um estudo descritivo dos objetos-de-discurso presentes em artigos e reportagens de DCM publicados na revista impressa Ciência Hoje das Crianças. Investiga-se principalmente a hiponímia, que é preponderante no movimento que parte dos termos cotidianos e desemboca em expressões especializadas, ainda que se contemplem as implicações semiodiscursivas de hipônimos e hiperônimos e os desdobramentos que essa relação engendra. Entende-se que as marcas anafóricas dos textos do corpus são influenciadas pelas restrições do contrato de comunicação midiático (CHARAUDEAU, 2008a), como, porexemplo, as visadas de captação e informação. Essas anáforas são concebidas como recursos que visam a uma esquematização (GRIZE, 1996) dos objetos em prol de esquemas inteligíveis para as crianças. Os resultados mostram que as operações sociocognitivas que estão envolvidas nas (re)categorizações dos objetos-de-discurso são indicativas das encenações (CHARAUDEAU, 2009), estados e modos de recepção e tratamento do tema pelos parceiros da atividade linguageira, revelando a centralidade da hiponímia nesse processo.


Texto completo:

PDF


Indexadores: