Um estudo sobre o registro e a interatividade da música computacional

José Eduardo Fornari Novo Jr

Resumo


Este artigo traça um breve panorama do desenvolvimento da música computacional, estabelecendo uma continuidade desta com a música tradicional, tanto no aspecto de seu registro, através da notação musical, como da interatividade, na atuação do intérprete durante sua performance. Na música computacional, o registro é dado pelo algoritmo, cuja programação assemelha-se à composição de uma estrutura musical; a partitura. Porém, o algoritmo musical tem a vantagem de poder ser criado de modo a ser uma estrutura dinâmica, variante no tempo. Da mesma forma, a performance da música tradicional, pela interpretação de um músico sobre uma partitura, é similar ao processo computacional de interatividade musical entre um usuário e o algoritmo musical. Isto confere uma plasticidade musical sem precedentes, que pode ser explorada criando obras musicais adaptativas e até mesmo evolutivas.

Texto completo:

PDF


Indexadores: