Fases do exílio, sob as faces do tempo - Processos da pesquisa (em andamento) sobre Elza Freire

Nima Imaculada Spigolon

Resumo


Este trabalho integra pesquisa sobre Elza Freire, constituindo-se por resultados parciais de doutoramento. O escopo compreende o recorte temporal 1964/ 1980, e objetiva pensar o exílio brasileiro a partir de Elza Freire e sua família. Justifica-se tanto pelo caráter histórico ao discutir fatos passados, quanto pela ponte que estabelece com o presente/futuro na construção de sociedades mais igualitárias. O cenário nacional e internacional é parte de um processo que acometeu homens e mulheres brasileiro(a)s exilado(a)s, as experiências de Elza Freire se entrelaçam à essa realidade. O foco é discutir o exílio como experiência social, coletiva e ao mesmo tempo individual, que guarda relação com a dimensão histórica, sociocultural e político-pedagógica das situações vivenciadas. O caminho teórico-metodológico em construção se fundamenta nos aportes da abordagem qualitativa, estruturados segundo uma lógica indutiva. Diversos instrumentos de coleta de informação foram mobilizados, no intento de articular o conjunto de fontes: primárias, documentais e não documentais, destacando os manuscritos produzidos por Elza Freire, as décadas expostas cronologicamente para a composição histórica, bem como produzir conexões de sentido para o que denomino diáspora brasileira. Acreditamos que recuperar memórias, investigar processos, é também uma forma de impedir a repetição de governos ditatoriais e terrorismos de Estado, é recusar situações sociais de opressão, exclusão e violação de direitos, é fortalecer princípios de liberdade e de vida, ideais que coadunam com a construção de sociedades mais justas, dignas, humanas e amorosas.

Texto completo:

PDF


Indexadores: