Aquisição do português brasileiro como segunda língua numa abordagem gerativista: um estudo sobre o sujeito nulo

Gildete Rocha XAVIER

Resumo


Este estudo objetiva investigar como se dá a aquisição do sujeito nulo do português brasileiro (PB) como segunda língua (L2) por adultos estrangeiros, falantes nativos de Inglês e Italiano em situação de imersão total. A pesquisa desenvolve-se no âmbito da gramática gerativa, dentro do quadro da Teoria de Princípios e Parâmetros (Chomsky 1981,1986) e do Programa Minimalista (Chomsky, 1993, 1995, 2000). As questões da pesquisa estão relacionadas à questão do acesso à Gramática Universal (GU), por aprendizes de L2. Mais especificamente, procurou-se investigar se os sujeitos aqui analisados têm acesso à GU e, em caso afirmativo, qual seria a forma desse acesso. Os resultados da análise dos dados confirmaram a) a hipótese de acesso direto à GU, através do uso do valor default do parâmetro pro-drop = sujeitos nulos ou preenchidos + a forma verbal uni-pessoal, nas produções dos falantes de inglês e italiano em fase inicial de aquisição e, b) a hipótese do acesso indireto à GU, via L1, nas produções dos sujeitos falantes de inglês e italiano em fase não-inicial de aquisição. Além disso, considerando que as línguas pro-drop não constituem um único tipo, levantou-se a hipótese de que, com base nos dados do input, os aprendizes vão apresentar o pro-drop do PB, a partir da aquisição da concordância dessa língua, o que se confirmou. A tese confirma a hipótese do “bilingüismo universal??? de Roeper (1999), não apenas para o estágio inicial, mas para os estágios intermediário e final.



Abstract

The aim of this study is to investigate the acquisition of the null subject in Brazilian Portuguese (BP) as a second language (L2) by native adult speakers of English and Italian, in a situation of total immersion. The research was developed within the framework of the Principles and Parameters Theory (Chomsky 1981, 1986) and the Minimalist Program (Chomsky, 1993, 1995, 2000). The research attempted to investigate whether the L2 learners have access to Universal Grammar (UG) and what the form of that access would be. The results of the analysis confirmed a) the hypothesis of direct access to UG, through the use of the pro-drop parameter’s default value = null or overt subjects + the one-person agreement verbal form, in the production of English and Italian speakers in the initial phase of acquisition and, b) the hypothesis of indirect access to UG through L1, in the production of the English and Italian speakers in the non-initial phase of acquisition. Considering that pro-drop languages do not constitute a single type, it was hypothesized that, based upon data from the input, the learners would present the pro-drop of BP, starting by the acquisition of the agreement in that language, which was confirmed. The analysis confirms the "universal bilingualism" hypothesis (Roeper, 1999), not only for the initial stage of acquisition, but also for the intermediate and final stages.


Texto completo:

PDF