A Cristalização dos Provérbios e sua vigência nas práticas de gêneros textuais ou práticas comunicativas

Sandra Elisabete de Oliveira Cazelato

Resumo


Há um consenso de que os provérbios são ditos populares tradicionais de sabedoria e conselho, de que são rápidos e incisivos, que apresentam pressupostos culturais de uma sociedade, de seus valores e da maneira de fazer as coisas. O provérbio é compacto, fácil de ser memorizado, atemporal e pretensamente veicula uma verdade imutável. O provérbio se refere a situações sociais e étnicas, contendo prescrições e interdições, normas de conduta, portanto, alguns dos provérbios sofrem alterações nos sentidos ou podem ser contestados no decorrer da evolução das idéias, do mundo, da cultura, da história, como no caso dos provérbios parodiados. O pré-construído do provérbio, neste caso, é contestado de alguma forma. Os provérbios parodiados são exemplos de enunciados proverbiais re-construídos, construídos, ressignificados a partir de uma formação discursiva histórica e ideológica de uma época, que hoje brincam com o sentido veiculado e cristalizado de determinado enunciado proverbial e veiculam sentidos novos. Podemos observar a reenunciação do provérbio em qualquer tempo e lugar, em diversas situações adaptando-se a cada situação. São diferentes as práticas de gêneros textuais e comunicativas vigentes, mas não deixam de ser o “... discurso da vida prática”.

Texto completo:

PDF