SIMPATIA PELO DIABO : UM ESTUDO SOBRE SATÃ EM A HORA DO DIABO, DE FERNANDO PESSOA

Luciano de Souza

Resumo


Ao transpor as fronteiras dos textos religiosos em que se originou, o Diabo veio a se tornar, nos domínios da literatura, um símbolo recorrente e de indisputável significância, como atestam suas várias e multifacetadas manifestações literárias. Partindo, pois, de uma interpretação do Demônio enquanto símbolo literário de extensa tradição, o presente trabalho tem por objetivo a análise da representação de Satã no conto A Hora do Diabo, de Fernando Pessoa. Tenciona-se, em substância, por meio de uma leitura analítico-comparativa do discurso de Satanás, deslindar a figura do Tentador enquanto sumo conhecedor de mistérios e iniciador que, ao longo da narrativa, sumariza e expõe ao leitor o pensamento esotérico de Fernando Pessoa para, a partir daí, estabelecer uma relação entre os desígnios do Diabo, o Oculto e o fazer poético.

Texto completo:

PDF