A FOME: ÂNSIA OU CARÊNCIA. UMA LEITURA DAS OBRAS DE RODOLFO TEÓFILO E KNUT HAMSUN

Waldemar Rodrigues Pereira Filho

Resumo


Rodolfo Teófilo (1853 – 1932) e Knut Hamsun (1859 – 1952) foram fundamentais em suas respectivas tradições literárias, por razões distintas: o primeiro, brasileiro, deve ser considerado o fundador do que pode ser chamada de “literatura da fome”, subdivisão temática do regionalismo. É lembrado, também, por parte da crítica, como um dos primeiros a explorar o ambiente rural, como cenário de conflitos e dramas humanos intensos; O segundo, Nobel de Literatura de 1920, recebeu os louros da glória, na mesma medida em que teve a execração pública, por sua aproximação com o nazi-facismo. Colocou a tradição literária nórdica no mapa da grande Literatura ocidental do século XX e também explorou, a sua maneira, o terroir local, em sua obra mais conhecida, Os frutos da terra. Escreveram, em 1890, obras homônimas, A Fome, cada um explorando de modo distinto os limites humanos e questões como a ânsia e a carência.

Texto completo:

PDF