PARÁFRASES D(A IMAGEM)(D)O CORPO EM PROTESTO: OS SENTIDOS DE FEMINISMO(S) NO FOCO DA RESISTÊNCIA NEGRA

Emanuel Angelo Nascimento

Resumo


A proposta deste artigo é a de analisar a materialidade significante do corpo em cenas de protestos com o engajamento do feminino, pensando, principalmente, na luta também das mulheres negras pelos direitos civis e contra a segregação racial nos Estados Unidos, nos anos 60. Nesse sentido, tomo como base o dispositivo teórico da Análise do Discurso de perspectiva materialista, visando observar como o corpo negro feminino significa em diferentes espaços de luta e de resistência atravessados pelo político e pelo simbólico. Assim, considerando a ideologia como prática que afeta e faz parte do processo de significação do corpo (ORLANDI, 2012) busco lançar um olhar discursivo sobre o corpo segregado, boicotado, sobre o corpo que luta, sobre o corpo que resiste, tendo em vista as imagens do corpo na imbricação entre diferentes materialidades (LAGAZZI, 2012) produzindo determinados efeitos de sentido nos movimentos de resistência do corpo nas fronteiras com o social.

Texto completo:

PDF