AS REAPROPRIAÇÕES DAS HISTÓRIAS ARTURIANAS NO CIBERESPAÇO

Luiza Cunha Canto Correia de Morais

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir as teorias e a metodologia que embasam minha pesquisa de mestrado, cujo tema é investigar como as histórias do rei Arthur e de seu universo se dão no ambiente virtual e o que suas manifestações podem revelar a respeito do sujeito contemporâneo e de sua formação identitária. Trata-se de uma pesquisa de caráter interdisciplinar, que envolve os estudos das linguagens, das mídias e das manifestações artísticas, além de focar, também, no uso e nos estudos das tecnologias digitais. Como fundamentação teórica, destaco os conceitos de sujeito, de dialogismo e de gêneros discursivos (os quais estendo para os gêneros digitais), desenvolvidos por Bakhtin e seu círculo; além de trabalhar com a questão de identidade desenvolvida por Medina (2006). A metodologia utilizada é a Etnografia Digital, a qual promove o estudo de grupos e comunidades por meio da inserção do pesquisador no ambiente em que suas manifestações ocorrem. Espero, assim, contribuir com as discussões acerca da formação do sujeito e de sua relação, não só com as histórias arturianas, mas também (e principalmente) com as tecnologias digitais.
Palavras-chave: Gêneros discursivos. Sujeito. Dialogismo. Etnografia Digital. Histórias arturianas.

Texto completo:

PDF