A arte do romance de Milan Kundera: a construção de um projeto literário

Aline do Prado Aleixo Soares

Resumo


Este trabalho busca discutir o projeto literário empreendido por Milan Kundera, um escritor-crítico nas linhas daqueles analisados por Leyla Perrone-Moisés (1998). A partir dos ensaios L’art du roman (1986), Les testaments trahis (1993) e Le rideau (2005), que funcionam como um complemento aos romances do autor, Kundera desenha seu projeto literário a partir da noção de obra e da total autoridade da figura do autor sobe ela. A estratégia do autor para inserir-se no que ele chama de “grande contexto” da literatura, em contraponto ao pequeno contexto das literaturas nacionais, passa pela filiação à língua e à literatura francesa e à tradição literária do século XVIII, e conta também com um círculo retórico que compreende ensaios e romances, uma vez que os escritos não-ficcionais do autor explicam o que seus romances exemplificam, sobressaindo-se dessa dinâmica uma vontade de coesão e controle sempre submetidos à figura do autor-romancista. Tomamos o romance La lenteur (1995) como ilustração dessa dinâmica de diálogo entre as duas instâncias (ficcional e ensaística) da obra kunderiana.

Texto completo:

PDF