A RESTRIÇÃO DE LICENCIAMENTO DA POSIÇÃO DE TÓPICO INTERNA À ORAÇÃO NO CONTEXTO DE MUDANÇA GRAMATICAL NO PORTUGUÊS CLÁSSICO A PARTIR DO SÉCULO 18

Alba Verôna Brito GIBRAIL

Resumo


RESUMO: A investigação das formas de manifestação de estruturas de tópico no português clássico, empreendida em textos de autores nascidos entre os séculos 16 e meados do século 19, formadores do Corpus Tycho Brahe, revela haver, na diacronia, a atuação de gramáticas distintas no licenciamento dessas construções. Nos dados dos autores nascidos nos séculos 16-17 emerge uma gramática que licencia sintagmas com a função de tópico na categoria de elementos fronteados, realizados dentro da estrutura prosódica da oração, e/ou na categoria de adjuntos, realizados em posição anterior à estrutura da frase; tendo o mesmo comportamento sintático de línguas V2, no que tange à tendência de formação dessas construções em sentenças de ordem XV com o constituinte pré-verbal em posição de tópico interna à oração. Na categoria de elemento fronteado, objetos e/ou outros constituintes com a função de tópico se manifestam na forma de estrutura de Topicalização, e/ou, no caso de objetos, na forma que se assemelha às das estruturas de Redobro de Clítico. Na categoria de elemento em adjunção, o sintagma pré-verbal carrega a função de tópico contrastivo, realizado na forma de estrutura de Topicalização e/ou na forma de Deslocada à Esquerda Clítica. Uma mudança emerge nos dados dos autores nascidos a partir do século 18: diminui a freqüência de objetos com a função de tópico na forma de estruturas de Topicalização e na forma que se assemelha às das estruturas de Redobro de Clítico; aumentando o seu uso na forma de Deslocada à Esquerda Clítica, com a realização da ênclise desvinculada da condição de tópico contrastivo do sintagma pré-verbal. Por outro lado, aumenta a freqüência de uso de estruturas de tópico com sujeito pré-verbal em sentenças com verbos transitivos. Essas mudanças refletem a atuação de uma gramática de natureza não-V2, que não licencia a posição de tópico interna à oração.

ABSTRACT: This paper presents the result of an investigation about the topic structures in Classical Portuguese. The result shows a V2 grammar, which licenses two different topic positions: one position is projected inside the prosodic structure of the clause, and another is projected outside this structure. In these positions, the dislocated constituent is a fronted element or an adjunct, presented in form of Topicalization or in form of Clitic Left Dislocation structures. There are syntactic changes in the license of these structures after the 18th century. These changes are triggered by a grammar, which doesn’t project the topic position inside the clause.

Palavras-chave


Lingüística Histórica; Gramática

Texto completo:

PDF