OS JUSTOS DE ANDRÉ SCHWARZ-BART, AMÁLGAMA DE TRADIÇÕES E MITO PARTICULAR.

Antônio Deval Neto

Resumo


André Schwarz-Bart (1928-2006) partiu de uma lenda popular do judaísmo para criar seu romance O Último dos Justos, que conta a história de uma família de judeus desde a Idade Média até meados do Séc. XX. Tal lenda consiste na existência de trinta e seis pessoas sobre as quais o mundo repousaria, mas novos elementos foram adicionados a ela. Este artigo pretende apresentar as tradições às quais o autor se refere e utiliza para recompor o mito dos trinta e seis justos ocultos. A amálgama que Schwarz-Bart faz para compor seus personagens engloba duas figuras de Tzadikim e um aspecto não presente na lenda original. Basicamente, são os Tzadikim do Chassidísmo que serviram de inspiração para construção dos justos e a imagem deles foi transplantada para a lenda dos Lamed-Vav à qual foi adicionado um elemento estranho a ela, o sofrimento, o que o torna um mito particular.

Texto completo:

PDF