MEMÓRIA E MONUMENTALIZAÇÃO NAS INSCRIÇÕES FÚNEBRES DAS SOCIEDADES ROMANAS ANTIGAS E NOS EPITÁFIOS DE PÊRO DE ANDRADE CAMINHA

Eronildes Teixeira Amaral, Marcello Moreira

Resumo


Este trabalho objetiva discutir a relação entre epitáfio, monumento e memória nas sociedades romanas antigas e no século XVI, no qual se efetua a produção dos epitáfios laudatórios de Pêro de Andrade Caminha, que institui um louvor aos ilustres que compunham a monarquia portuguesa quinhentista. Para tanto, expor-se-á um epitáfio antigo produzido pelo poeta elegíaco romano Propércio e um epitáfio de Caminha. Para descrever esses poemas, parte-se aqui de pesquisas teóricas sobre epigrafia, estudos sobre o comportamento humano diante da morte e sobre a poesia e sua ligação com a idéia de memória e monumento. O percurso da propagação das inscrições epigráficas, desde os romanos, é relevante para compreensão da relação entre monumento e memória, já que a escritura de palavras ou textos, sejam eles em formas variadas, visavam preservar a memória de personagens que detinham admiração pública desde as civilizações mais antigas.

Texto completo:

PDF