SUJEITO E LINGUAGEM NA SÍNDROME DO X-FRÁGIL: CAMINHANDO PELA NEUROLINGUÍSTICA DISCURSIVA NO CORPO A CORPO COM OS DISPOSITIVOS

Michelli Alessandra Silva

Resumo


Apresento uma reflexão sobre o discurso científico veiculado em diferentes publicações sobre a Síndrome do X-Frágil. Com base em algumas obras de Foucault, procuro analisar como essa patologia é descrita pela área médica, especialmente em relação ao processo de aquisição da linguagem, quais efeitos de poder/saber são produzidos por esse discurso e suas implicações. Tendo isso em vista, acompanho o processo de aquisição e uso da fala/leitura/escrita de três sujeitos portadores da síndrome, em sessões semanais em grupo (CCazinho/IEL/UNICAMP) e/ou individuais. A partir dos pressupostos teórico-metodológicos formulados pela Neurolinguística Discursiva (COUDRY e FREIRE, 2010), busco identificar as dificuldades linguísticas desses sujeitos de forma a apontar aquilo que pode ser patológico, o que faz parte do processo normal de aquisição e uso da fala/leitura/escrita e o que pode estar relacionado a outros fatores. Apresento algumas análises de forma a contrapor os dados observados com o discurso determinístico da área médica.

Texto completo:

PDF