A “HIPERCORREÇÃO” PRODUZIDA EM DIFERENTES POSIÇÕES-SUJEITO E O DESEJO DE PERTENCIMENTO AO GRUPO DOS QUE “SABEM FALAR/ESCREVER”

Elizete Beatriz Azambuja

Resumo


Neste artigo, trato de alguns pontos da discussão que desenvolvo na pesquisa de doutorado, em que, sustentando-me na teoria da Análise de Discurso, objetivo estudar a relação sujeito/língua, a partir de enunciados que apresentam fatos de “hipercorreção”. Nesse sentido, procuro demarcar a diferença entre a abordagem dessa noção na sociolinguística e a produzida na perspectiva discursiva. O corpus está formado heterogeneamente por textos orais e escritos constituidos, em condições de produção distintas, por diferentes sujeitos, nos estados de Goiás e de Mato Grosso. Os enunciados orais são de alunos e professores universitários, bem como de vereadores. Os escritos são de reeducandos de uma unidade prisional, assim como de alunos egressos de um determinado curso de especialização. A análise realizada é uma possibilidade de refletir sobre o imaginário de língua “correta” construido sócio-histórica e ideologicamente.

Texto completo:

PDF