VARIAÇÃO FONOLÓGICA NA LIBRAS: UM ESTUDO DA ALTERNÂNCIA NO NÚMERO DE ARTICULADORES MANUAIS ENVOLVIDOS NA PRODUÇÃO DOS SINAIS

André Nogueira Xavier

Resumo


O objetivo central deste artigo é tratar de casos de variação na pronúncia de sinais da libras (língua brasileira de sinais) com relação ao número de articuladores manuais empregados em sua produção. Embora de acordo com o trabalho de Xavier (2006) há sinais na libras que podem ser classificados como sendo normalmente produzidos com uma ou com duas mãos, discutem-se aqui casos em que certos sinais, tipicamente realizados com uma mão, são articulados com duas, e vice-versa. Além disso, discutem-se os fatores que regem essa variação. Antes disso tudo, no entanto, apresentam-se os parâmetros de análise sublexical propostos para as línguas de sinais, objetivando, em primeiro lugar, contextualizar o número de mãos como sendo um deles e, em segundo lugar, evidenciar que a variação na pronúncia dos sinais decorre das diferentes manifestações que um dado parâmetro, entre eles o número de mãos, pode ter.

Texto completo:

PDF