ESTRUTURAS POSSESSIVAS: A AQUISIÇÃO DE POSSE INALIENÁVEL NO PORTUGUÊS BRASILEIRO

Fernanda Mendes

Resumo


Este artigo, inserido no quadro teórico da gramática gerativa, pretende dedicar-se ao estudo da posse inalienável no português brasileiro. Mais especificamente, esta pesquisa se coloca como objetivo investigar como se dá a aquisição desse tipo especial de estrutura possessiva, tendo por base a hipótese inatista chomskiana.
O conceito de posse inalienável é bastante divergente na literatura. Por um lado, existe a visão de Guéron (1985) e Floripi e Nunes (2009), mais voltada para a estrutura sintática do sintagma nominal. E, por outro lado, existe a visão de Bally (1996 [1926] apud MITHUN, 2001:286), Vergnaud e Zubizarreta (1992) e Pérez-Leroux et al. (2002), mais voltada para a classe semântica do nome ou do determinante.
Esta pesquisa visa estabelecer uma complementaridade entre estas duas abordagens para explicar a posse inalienável, pois acredita que, por meio dessa interface sintático-semântica será possível abranger, de uma maneira mais completa, esse tipo de construção.
Palavras-chave: aquisição da linguagem, posse inalienável, português brasileiro.

Texto completo:

PDF