O ENSINO DE LEITURA NO ENSINO MÉDIO: UMA ANÁLISE DO PLANO INFERENCIAL EM LIVROS DIDÁTICOS

Diego da Silva Vargas

Resumo


Neste trabalho, pretendo avaliar algumas questões de leitura apresentadas em livros didáticos, no sentido de sua capacidade de reconhecimento do processo de geração de inferências dos alunos que os utilizam. Para tal, parto de uma concepção cognitivista, associada a uma visão psicolinguística. Evito definir a inferenciação como apenas uma estratégia de leitura, mas sim como o processo básico de significação que permite ao aluno dar um primeiro passo numa leitura qualitativa. Defendo que um dos principais elementos contribuintes para a precariedade do ensino de leitura é a incapacidade da Escola de entender o funcionamento cognitivo de seus alunos. Nesse sentido, os livros didáticos parecem não alterar essa situação, uma vez que buscam a apresentação de noções de certo e errado que impedem tal entendimento. Torna-se necessário ativar e aumentar o conhecimento prévio do aluno, além de um trabalho em aula com mais perguntas de nível inferencial.

Texto completo:

PDF