AS CARTAS CHILENAS ENTRE A EPÍSTOLA E A SÁTIRA

Ana Paula Gomes do Nascimento

Resumo


Atribuídas a Tomás Antônio Gonzaga, as “Cartas Chilenas” têm sido lidas como prenunciadoras da inconfidência mineira, destacando-se seus elementos históricos em detrimento dos retórico-poéticos. Neste estudo, porém, entendemos a obra como situada em uma instituição retórica e tributária do gênero epistolar satírico. Assim, faz-se necessário estudar ambos os gêneros, bem como suas autoridades acumuladas ao longo do tempo, mas principalmente utilizar obras publicadas no século XVIII, tais como a “Arte poética” de Francisco José Freire e o “Verdadeiro método de estudar” de Luís Antônio Verney, entre outras, como base para argumentação. Levar em consideração as reformas curriculares ocorridas na Universidade de Coimbra no período, além das diversas obras de autores e retores latinos encontradas nas bibliotecas dos árcades mineiros também fornece elementos valiosos para esse tipo de análise. É necessário, ainda, verificar as relações entre a ética, a filosofia política e a sátira.

Texto completo:

PDF