O Sertão em Neblina: sobre o amor de Riobaldo e Diadorim

Felipe Bier Nogueira

Resumo


O presente artigo pretende promover um estudo sobre a temática do amor em Grande Sertão: veredas, com enfoque na relação entre Riobaldo e Diadorim. Parte-se do pressuposto de que as relações amorosas têm importante papel na arquitetura dos romances de Guimarães Rosa; contudo, chama-se a atenção para as especificidades do vínculo entre as duas personagens supracitadas: este trabalho tentará mostrar que, longe de se encaixar num esquema em que o envolvimento erótico se equipara a uma escalada em direção a uma estabilização do ser, a relação entre Diadorim e Riobaldo serve como força motriz para encetar um movimento de subjetivação através da constante supressão e subseqüente renascimento da alteridade. O princípio do amor enquanto potência desestabilizadora não estaria, portanto, somente localizado na superfície da trama, mas constituiria ele mesmo o núcleo de onde se irradiam as linhas de força que sustentam o romance.

Texto completo:

PDF