Cesura e música nas odes sáficas de Horácio

Alfredo Rezende

Resumo


Notoriamente, a estrofe sáfica é composta pela justaposição de três hendecassílabos sáficos, sendo o último arrematado por um adoneu. Na composição da estrofe sáfica, Horácio assume preferências prosódicas mais estritas do que seu modelo eólio – do qual nos restam fragmentos de Safo e Alceu. Segundo defende Luigi Rossi: 2009, os quatro livros de odes de Horácio parecem ter sido elaborados para a leitura, e nisso se diferenciam dos modelos arcaicos, compostos para a execução musical. O ponto fulcral da teoria do estudioso é a análise estatística da incidência de cesuras ao longo de três fases – quinquenais – da produção do poeta. Levanto aqui alguns aspectos das cesuras na estrofe sáfica horaciana que podem alterar algo da percepção dessa teoria.


Palavras-chave


Estrofe sáfica. Hendecassílabo. Cesura. Sinafia. Música.

Texto completo:

PDF

Referências


BAILEY, S. (1985). Q. Horatius Flaccus: opera. Stuttgart: Teubner.

BARCHIESI, A. (2007). Carmina: odes and carmen saeculare. In: HARRISON, S. The Cambridge companion to Horace. Cambridge: University Press.

BIERL, A; LARDINOI, A. (2016). The Newest Sappho: P. Sapph. Obbink and P. GC inv. 105, frs. 1–4. Leiden: Brill.

ELLIS, R. (2010). Catulli Veronensis carmina. Oxford: Clarendon Press.

KLINGNER, F. (1957). Horatius: opera. Stuttgart: Teubner.

LOBEL, E.; PAGE, D. (1955). Poetarum lesbiorum fragmenta. Oxford: Clarendon Press.

PAOLICCHI, L. (1993). Orazio: tutte le opere. Roma: Salerno Editrice.

QUESTA, C. (1996). Questioni codicologiche. In: MARIOTTI, S. Enciclopedia oraziana, vol. 1. Roma: Istituto della Enciclopedia Italiana.

ROSSI, L. (2009). Horace, a greek lyrist without music. In: LOWRIE, M. Horace: Odes and epodes. Oxford: Clarendon Press.

WEST, D. (1998). Horace odes ii: text, translation and commentary. Oxford: Clarendon Press.