Universidade: escola para a sociedade – um relato sobre experiências de pesquisa e extensão

Tatiana Franca Zanirato, Fernanda Cunha Sousa

Resumo


O presente artigo relata as experiências do projeto de extensão Contos de Mitologia, idealizado pela professora Neiva Ferreira Pinto (UFJF), no início dos anos 2000 e recentemente retomado pelas professoras Tatiana Franca R. Zanirato (UFG) e Fernanda Cunha Sousa (UFJF), que o desenvolvem nas respectivas instituições em que lecionam. O projeto leva a jovens das comunidades de Jataí/GO e Juiz de Fora/MG os frutos das pesquisas efetuadas pela equipe de trabalho nos Estudos Clássicos, através da contação de histórias da Antiguidade Clássica. Nosso objetivo é difundir o conhecimento dos Estudos Clássicos e o gosto pela leitura em crianças e jovens, além de incentivar a formação continuada dos participantes do projeto. Como fio condutor, selecionamos algumas narrativas retiradas de obras da literatura grega e latina, tais como "Teogonia", do poeta grego Hesíodo, "As Metamorfoses", do poeta latino Ovídio, "O burro de ouro", de Lúcio Apuleio e "Ilíada" e "Odisséia", de Homero, do poeta latino Ovídio, narrativas que são adaptadas e contadas aos alunos atendidos pelo projeto.


Palavras-chave


Pesquisa. Extensão. Estudos Clássicos. Contação de Histórias. Universidade. Sociedade.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTO, Paulo F. (2007), Ovídio: Metamorfoses, Lisboa: Cotovia, 2014.

ANDALÓ, Adriane. Didática da Língua Portuguesa para o Ensino Fundamental: alfabetização, letramento, produção de texto em busca da palavra-mundo. São Paulo: FTD, 2000.

ABRAMOVICH, Fanny. Literatura infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 1989.

AMARILHA, Marly. Estão mortas as fadas?: Literatura infantil e prática pedagógica. Rio de Janeiro: Vozes, 1997.

BHABHA, Homi K. O local da cultura.Trad. Myriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima Reis, Gláucia Renate Gonçalves. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

BARTHES, Roland. O prazer do texto. Tradução J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2006.

BARTHES, Roland et al. Análise estrutural da narrativa. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1976.

BAZÁN, F. G., Aspectos Incomuns do Sagrado, trad. Ivo Storniolo. São Paulo: Paulus, 2002.

BARBOSA, Begma Tavares, A leitura dos clássicos na escola: um desafio a ser enfrentado no letramento de jovens. III colóquio internacional sobre letramento e cultura escrita. Disponível em: http://www.ufjf.br/fale/files/2010/06/Begma-Tavares-Barbosa.pdf. Acessado em: 27 de janeiro de 2015.

BRANDT, Ana Luisa; GUSTSACK, Felipe; FELDMANN, Juliana. Reflexões sobre a contação de histórias: uma proposta para integrar oralidade, leitura e escrita. Conjectura, Caxias do Sul, v. 14, n. 2, p. 169-185, maio/ago. 2009.

BUSATTO, Cléo. Contar e encantar: pequenos segredos da narrativa. Petrópolis: Vozes, 2003.

CALVINO, I. Por que ler os clássicos. 3ª reimpressão. São Paulo: Companhia das Letras, 2013 [1981].

CALVINO, I. Seis propostas para o próximo milênio. 2.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

CÂNDIDO, A. O direito à literatura. In: Vários escritos, 3 ed. São Paulo: Duas Cidades, 2004.

COMPAGNON, Antoine. Literatura para que? Tradução de Laura Tadei Brandini. Belo Horizonte: UFMG, 2009.

DERRIDA, Jacques. A Universidade sem condição. Trad. Evando Nascimento. São Paulo: Estação Liberdade, 2003.

ECO, U. Obra aberta: forma e indeterminação nas poéticas contemporâneas. São Paulo: Perspectiva, 1969.

ECHEVERRÍA, Rafael. Ontologia del linguaje. Buenos Aires; Granica: Saez, 2006.

FARIA, Alexandre. O segredo público. In: Disciplina, cânone: continuidades e rupturas. Jovita Maria Gerheim Noronha ... [et al.]. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2013.

GIL NETO, Antônio. A produção de textos na escola. 4. ed. São Paulo: Loyola, 1996.

GUMBRETCH, Hans Ulrich. Produção de presença: o que o sentido não consegue transmitir. Trad. Ana Isabel Soares. Rio de Janeiro: Contraponto, 2010.

KAUFMAN, Ana Maria; RODRÍGUEZ, Maria Elena. Escola, leitura e produção de textos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

KLEIMAN, A. Oficina de leitura: teoria e prática. Campinas, SP: Pontes, 1993.

MATURANA, H.; REZEPKA, S. N. de. Formação humana e capacitação. Petrópolis: Vozes, 2000.

MORAIS, José. Preparar para a leitura: ver e ouvir ler. Revista Perspectiva, Florianópolis: Editora da UFSC, v.17, n. 31, p. 71-90, 1999.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇAO E CULTURA. Formação de professores e alunos leitores. Cadernos de Educação Básica, Brasília: MEC, 1994.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

PINTO, Neiva Ferreira. 2015. Memorial defendido como requisito parcial para obtenção de título de Professor Titular. Faculdade de Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora. Inédito.

RAMOS, Ana Cláudia. Contação de histórias: um caminho para a formação dos leitores? Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Londrina, Centro de Educação, Comunicação e Artes, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2011.

SANTOS, Joel Rufino dos. Quem ama literatura não estuda literatura – ensaios indisciplinados. Rio de Janeiro: ROCCO, 2008.

SARAIVA, Juracy A. Literatura na escola: propostas para o Ensino Fundamental. Porto Alegre: Artmed, 2003.

SCHOLLES, Robert; KELLOG, Robert. A natureza na narrativa. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1977.

SISTO, C. A literatura frequenta a escola... Mas quem conta as historias? In: PAROLIN, I. C. H. (Org.). Sou professor! A formação do professor formador. Curitiba: Positivo, 2009. p. 67-71.

TODOROV, Tzvetan. A literatura em perigo. Trad. Caio Meira. Rio de Janeiro: DIFEL, 2009.