Ensino inicial de Latim: a cultura clássica através de textos

Giovanna Longo

Resumo


O entendimento do latim como língua materna impõe o texto legítimo como única fonte a partir da qual é possível extrair os dados daquele sistema linguístico. Dessa perspectiva, a aquisição da competência de leitura é o principal objetivo do estudo desse idioma. O presente artigo apresenta uma proposta didática que permite, desde as lições iniciais de Latim, trabalhar com a compreensão das estruturas oracionais simples e das oposições de caso, em função das noções de texto e contexto. O material é formulado a partir de fontes originais sem a necessidade de recorrer, por um lado, a adaptações ou facilitações em latim ou, por outro, ao uso de frases isoladas de seus contextos. Com isso, busca-se garantir não apenas o entendimento das estruturas linguísticas, mas também, e sobretudo, de importantes tópicos da cultura e literatura clássicas.


Palavras-chave


Latim. Linguística aplicada. ensino. cultura clássica. texto.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARANTE, J. Dois tempos da cultura escrita em latim no Brasil: o tempo da conservação e o tempo da produção: discursos, práticas, representações proposta metodológica. Salvador, 2013. 313f. Tese (Doutorado em Língua e Cultura). Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2013.

CART, A. et al. Gramática latina. Trad. Maria Evangelina V. N. Soeiro. São Paulo: EdUSP, 1986.

FARIA, E. Dicionário escolar latino-português. 6a ed. Rio de Janeiro: MEC / FENAME, 1982.

FIORIN, J. L. Letras Clássicas no 2º grau: competência textual e intertextual. In: CARDOSO, Zélia de Almeida (Org.). Mito, religião e sociedade. Anais do II Congresso Nacional de Estudos Clássicos. Sociedade Brasileira de Estudos Clássicos. São Paulo, 1991. p.515-519.

FORTES, F. e MIOTTI, C. M. Cultura clássica e ensino: uma reflexão sobre a presença dos gregos e latinos na escola. Organon. Porto Alegre, RS, v.29, nº56, p. 153-173, jan/jun 2014.

FORTES, F. e PRATA, P. Considerações sobre métodos e metodologias de ensino de latim no Brasil. IN: AMARANTE, J. e LAGES, L. Mosaico Clássico: variações acerca do mundo antigo. Salvador: UFBA, 2012. p.167-185.

HJELMSLEV, L. Prolegômenos a uma teoria da linguagem. Trad. Teixeira Coelho Neto. São Paulo: Perspectiva, 1975. (Estudos).

KENNEY, E. J. Vt erat novator: Anomaly, Innovation and Genre in Ovid, Heroides, 16021. IN: ADAMS, J. N. and MAYER, R. G. Aspects of the language of latin poetry. Oxford: Oxford University Press for The British Academy, 1999, p.399-414.

LEITE, L. R. e CASTRO, M. B. O ensino de língua latina na universidade brasileira e sua contribuição para a formação do graduando em letras. Organon. Porto Alegre, RS, v.29, nº56, p. 223-244, jan/jun 2014.

LIMA, A. D. Uma estranha língua?: questões de linguagem e de método. São Paulo: UNESP, 1995.

LIMA, A. D. Memorial - Concurso para obtenção de cargo de Professor Titular. Departamento de Linguística, Faculdade de Ciências e Letras - UNESP, Araraquara, [2000].

LONGO, G. Abordagem textual no ensino de latim. Organon. Porto Alegre, RS, v.29, nº56, p. 175-188, jan/jun 2014.

MARANHÃO, S. M. Reflexões sobre o ensino de língua latina em cursos superiores de Letras Modernas. Instrumento, Juiz de Fora, v.11, n.1, p.27-36, jan./jun. 2009.

MIOTTI, C. M. O ensino de Latim nas universidades públicas do estado de São Paulo e o método Reading Latin: um estudo de caso. Campinas, 2006. 145f. Dissertação (Mestrado em Linguística). Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006.

OVID. Heroides. E.J. Kenney editor. Cambridge: Cambridge University Press, 1996.

PRADO, J. B. T. Língua Latina I: anotações de aula. Araraquara, 2007.