Relembrando Rónai, amante e mestre de letras latinas

Matheus Trevizam

Resumo


Neste artigo, gostaríamos de relembrar alguns aspectos das boas relações de Paulo Rónai com o latim, sua literatura e seu magistério. Nascido na Hungria na primeira metade do século XX, o intelectual de origem judaica viu-se coagido a mudar-se para o Brasil na década de 40 por causa das perseguições dos nazistas na Europa. Aqui estabelecido, notabilizou-se como professor de latim e francês, tradutor de vários idiomas para o português, coordenador editorial e ensaísta. Essa trajetória profissional e de pensamento encontra-se hoje documentada para o público geral, sobretudo, nos muitos textos de reflexão crítica que escreveu, por exemplo, sobre as letras de Roma Antiga e seu ensino. Será justamente de ensaios contidos, entre outras fontes, em Como aprendi o português, e outras aventuras (1956) e A tradução vivida (1976) que nos serviremos para acompanhar algo de sua atuação como empenhado latinista.


Palavras-chave


Paulo Rónai. Língua latina. Literatura latina. Crítica literária. Magistério.

Texto completo:

PDF

Referências


@lalettre.com (acesso em 24/01/2015) – http://www.alalettre.com/auteurs-contemporains-sz.php#Sagan

de ALMEIDA, N. M. Gramática latina. São Paulo: Saraiva, 2011.

BRAGA, H. S. O ensino de latim na escola Maria Constança Barros Machado como reflexo da história da disciplina no Brasil (1939-1971). Dissertação de mestrado inédita. Campo Grande: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, 2005.

BROWN, R. E. A quarta “bucólica” de Virgílio. Ciberteologia, São Paulo, ano III, edição número 9, p. 78-82, jan.-fev. 2007.

Enciclopedia Treccani on-line (acesso em 24/01/2015) – http://www.treccani.it/enciclopedia/ugo-enrico-paoli

“Faz 50 anos que o tradutor e ensaísta chegou ao Brasil – Paulo Rónai” (acesso em 19/01/2015) – http://almanaque.folha.uol.com.br/entrevista_paulo_r%F3nai_27abr1991.htm.

GORDON, A. E. Illustrated introduction to Latin epigraphy. Berkeley/ Los Angeles: University of California Press, 1983.

HOWATSON, M. C. (org.). Dictionnaire de l’Antiquité. Trad. Jeannie Carlier et alii. Paris: Robert Laffont, 1993.

MIOTTI, C. M. O ensino do latim nas universidades públicas do estado de São Paulo e o método inglês “Reading Latin”: um estudo de caso. Dissertação de mestrado inédita. Campinas: IEL-Unicamp, 2006.

OVIDIO. Metamorfosi. A cura di Piero Bernardini Marzolla. Torino: Einaudi, 1994.

POLASTRI, B. H. et alii. Novas abordagens para o ensino de latim. In: de ALMEIDA, N. S. (org.). Caderno de resumos e programação do “Congresso de leitura do Brasil”. Campinas: Unicamp, FE/ALB, 2009, p. 110.

PORTINHO, W. M.; DUTRA, W. Paulo Rónai, tradutor e mestre de tradutores. TradTerm, São Paulo, vol. 1, p. 21-30, 1994.

RÓNAI, P. A bela adormecida no bosque. In: RÓNAI, P. Babel & Antibabel: ou o problema das línguas universais. 1ª. edição. São Paulo: Perspectiva, 1970, p. 105-112.

RÓNAI, P. A desforra do latim. In: RÓNAI, P. Escola de tradutores. 7ª. edição. Rio de Janeiro: José Olympio, 2012a, p. 141-146 (1ª. edição 1952).

RÓNAI, P. Alexander ille Lenardus. In: RÓNAI, P. Escola de tradutores. 7ª. edição. Rio de Janeiro: José Olympio, 2012b, p. 129-139 (1ª. edição 1952).

RÓNAI, P. A operação Balzac. In: RÓNAI, P. A tradução vivida. 4ª. edição. Rio de Janeiro: José Olympio, 2012c, p. 213-237 (1ª. edição 1976).

RÓNAI, P. As falácias da tradução. In: RÓNAI, P. A tradução vivida. 4a. edição. Rio de Janeiro: José Olympio, 2012d, p. 133-150 (1ª. edição 1976).

RÓNAI, P. As línguas que não aprendi. In: RÓNAI, P. Como aprendi o português, e outras aventuras. 2ª. edição. Rio de Janeiro: Artenova, 1975a, p. 16-19.

RÓNAI, P. Como aprendi o português. In: RÓNAI, P. Como aprendi o português, e outras aventuras. 2ª. edição. Rio de Janeiro: Artenova, 1975b, p. 9-15 (1ª. edição 1956).

RÓNAI, P. Gradus Primus: curso básico de latim. 9ª. (re)edição. São Paulo: Cultrix, 2007.

RÓNAI, P. Gradus Secundus: curso básico de latim. 19ª. (re)edição. São Paulo: Cultrix, 2007.

RÓNAI, P. Não perca seu latim. 2ª. edição, revista e ampliada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

RÓNAI, P. O latim e o sorriso. In: RÓNAI, P. Como aprendi o português, e outras aventuras. 2ª. edição. Rio de Janeiro: Artenova, 1975c, p. 53-56 (1ª. edição 1956).

RÓNAI, P. Saldos de balanço. In: RÓNAI, P. A tradução vivida. 4ª. edição. Rio de Janeiro: José Olympio, 2012e, p. 190-193 (1ª. edição 1976).

RÓNAI, P. Vale ainda a pena ler a “Eneida”? In: RÓNAI, P. Pois é. 1ª. edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990, p. 113-120.

RÓNAI, P. Virgílio, poeta épico. In: VIRGÍLIO. Eneida. Trad. David Jardim Júnior, estudo introdutivo de Paulo Rónai. Rio de Janeiro: Tecnoprint, s.d., p. 11-15.

SPIRY, Z. F. Paulo Rónai: um brasileiro made in Hungary. Dissertação de mestrado inédita. São Paulo: FFLCH-USP, 2009.

TEIXEIRA, F. D. O ensino de latim no 3º. grau: a manutenção da tradição ou a alienação do educando. Revista eletrônica Antiguidade Clássica, Rio de Janeiro, no. 4, p. 80-93, segundo semestre de 2009.

TITE-LIVE. Histoire romaine I: la fondation de Rome. Texte établi et trad. par Gaston Baillet. Paris: Les Belles Lettres, 2002.

TOSI, R. Dicionário de sentenças gregas e latinas. Trad. Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2000.