Filhos da Esperança: a reformulação das tópicas (pós-) apocalípticas.

Rômulo Bezerra da Silva

Resumo


O fim do mundo como narrativa está presente em várias culturas e sociedades. A mais conhecida e influente representação acerca deste tema é o Apocalipse de João de Patmos. Essa influência criou diversas tópicas – como propostas por Barthes – que se encontram nas narrativas de término. O presente trabalho, então, tenciona apontar as tópicas (pós-) apocalípticas presentes no filme Filhos da Esperança (Children of Men). O trabalho não se limitará, no entanto, apenas a apontar tais tópicas, mas mostrar como elas são desconstruídas e re-significadas em uma narrativa mais atualizada. Para tanto, aproximar-se-ão o texto do Apocalipse de João de Patmos, a narrativa cinematográfica de Filhos da Esperança, a noção de tópica de Barthes e alguns conceitos específicos do texto bíblico e da estrutura cinematográfica.

Texto completo:

PDF